Top
Retrato do uso das novas tecnologias pelas organizações portuguesas do terceiro sector

A utilização das Tecnologias no Terceiro Sector em Portugal

O Estúdio de Impacto, em parceria as organizações norte americanas Non Profit Tech for Good e Public Interest Registry, que gere o domínio .org, deixa aqui um retrato sobre a utilização das novas tecnologias pelas organizações sem fins lucrativos a operar em Portugal.

Estes dados foram recolhidos pela primeira vez em território nacional no âmbito do Inquérito “Global NGO Technology Report”, que analisa anualmente as tendências neste setor, junto de organizações da Europa, América do norte e do sul, África, Ásia, Austrália e Oceania.

A edição de 2018 foi promovida em 164 países e contou com respostas de 5,352 entidades dos cinco continentes sobre o uso da Internet, tecnologias móveis, media sociais, comunicações por email, angariação de fundos online e ainda sobre a gestão e segurança de dados.

 

Principais conclusões a nível global

92% dos participantes têm um website, 87% dos quais são já compatíveis com o formato dos telemóveis, uma percentagem que aumentou 9% desde a edição de 2017.

68% dos participantes utiliza o domínio .org. 8% optou pelo domínio .com.

O email é a forma de comunicação preferida para comunicar com doadores. 63% dos participantes afirma enviar regularmente emails com informação atualizada, 18% utilizam aplicações de mensagens e 15% comunica frequentemente por SMS com os seus apoiantes.

72% dos participantes aceitam já doações online, um aumento de 5% relativamente ao ano anterior.

• 95% dos participantes concorda que os media sociais são efetivos para divulgar uma marca mas apenas 32%, afirmam ter uma estratégia pensada para estes meios.

O Facebook é a plataforma de media social mais utilizada em todo o mundo, com 93% dos participantes a afirmar ter aí uma página, seguida do Twitter (77%) e do You Tube (57%).

25% dos participantes afirmam publicar informação diariamente no Facebook e 24% utilizam o Twitter entre 2 a 5 vezes por dia. 68% das organizações usa o Linkedin menos de uma vez por semana.

80% dos participantes trabalha com o sistema operativo Windows da Microsoft

45% das organizações usa uma ferramenta de gestão de relação com o cliente (CRM) para otimizar a comunicação com doadores. 64% destes utilizadores preferem ferramentas que podem ser usadas online.

Apenas 41% dos participantes afirma usar tecnologia de encriptação para proteger os dados e as suas comunicações.

 

Utilização das TIC em rápida expansão

De acordo com a fundadora da Non Profit Tech for Good, as conclusões desta edição de 2018 “confirmam que, em todo o mundo, as organizações sem fins lucrativos estão a expandir rapidamente o âmbito da utilização da tecnologia e, com o aumento desta utilização, começam a aumentar também as necessidades de gestão de dados e de segurança.”.

Heather Mansfield acrescenta ainda que “pela primeira vez, este ano, o relatório apresenta dados sobre a gestão e segurança de dados da organização e dos doadores, que mostram que estas entidades estão ainda bastante atrás do setor privado no tratamento destas questões”.

 

As tecnologias como uma força poderosa para a mudança

Por sua vez o CEO do Public Interest Registry afirma que este relatório anual “não mostra apenas que a internet pode ajudar as organizações sem fins lucrativos a comunicar melhor e a colaborar com os seus stakeholders, mas ilustra também como este meio pode ser uma força poderosa para a mudança.”

Segundo Brian Cute esta é “uma importante iniciativa, que junta parceiros que, em todo o mundo, trabalham com organizações deste setor e que procuram compreender e tirar cada vez melhor partido da tecnologia para atualizar as suas missões.”

Para uma leitura com mais detalhe, o relatório está disponível na íntegra em língua portuguesa,  para download, AQUI 

Para mais informações em Portugal contactar: ines@estudiodeimpacto.pt

Parceiros